Notícias e Novidades

29 de Abril de 2014

Descoberta de drogas contra enxaqueca

Dois estudos que serão apresentados no encontro anual da Academia Americana de Neurologia no próximo fim de semana trazem esperança para quem sofre com crises frequentes de enxaqueca. As pesquisas mostram a possibilidade - por meio de duas drogas em fase de teste - de prevenir a enxaqueca em vez de combatê-la quando a crise já estiver em andamento.

Os dois estudos ainda estão na segunda das quatro fases de pesquisa clínica necessárias para que um novo medicamento seja colocado no mercado, mas o cenário é promissor.

O primeiro estudo selecionou 163 pessoas que tinham crises de enxaqueca frequentemente, de cinco a 14 dias por mês, e dividiu os pacientes em dois grupos. Metade deles recebeu a droga denominada ALD403, enquanto a outra parte só recebeu placebo. Essas pessoas foram monitoradas por 24 semanas. Os resultados foram satisfatórios, na visão dos autores do estudo: aqueles que foram medicados tiveram 5,6 menos dias de crises por mês, ou um decréscimo de 66%. E o melhor: 16% das pessoas que receberam o medicamento ficaram livres das crises por 12 semanas seguidas. Não houve diferença de efeitos colaterais entre quem tomou o medicamento com quem só recebeu placebo.

Um membro da Academia Americana de Neurologia e também um dos autores do estudo, David Dodick, afirmou que a importância da descoberta se deve ao fato de a enxaqueca ser pouco cuidada, com raros tratamentos efetivos, o que faz a doença ser a terceira queixa mais comum e a sétima doença mais incapacitante no mundo.

Fonte: Tribuna da Bahia 

 

Como os exercícios podem ajudar a manter o foco no trabalho

Acordar mais cedo para treinar muitas vezes aparace impossível de acontecer, né? Mas acredite, vale a pena, pois, além de ser bom para a sua saúde, também a ajuda a manter o foco no trabalho.

Quando ficar nas redes sociais se torna excessivo? Faz mal?

Fique atento!

Nutricionista: quando procurar pelo profissional?

Saiba qual é a importância de conhecer a alimentação saudável para não cair em ‘pegadinhas’ da indústria de alimentos.

assine nosso
informativo

Agência Interagir