Notícias e Novidades

01 de Junho de 2020

Fatos que você precisa saber sobre vitamina D

Em tempos de pandemia e surgimento de novas doenças, é importante que a população esteja protegida e com seus índices de saúde controlados. Vários estudos pelo mundo têm mostrado o papel fundamental da vitamina D na modulação da imunidade inata, sendo capaz de atacar agentes agressores de forma a impedir seu avanço e multiplicação dentro do organismo. Pensando nestas questões, o nutrólogo, oftalmologista, pesquisador sobre vitamina D e professor da Faculdade de Medicina do ABC, Dr. Renato Leça, tira as principais dúvidas sobre o assunto:

O que é a Vitamina D e para que serve? A vitamina D é um micronutriente que, entre outras funções no corpo, atua no funcionamento do sistema imunológico, auxilia na absorção de cálcio e tem papel importante no equilíbrio do açúcar no sangue. A deficiência dessa vitamina está comprovadamente ligada a uma série de doenças, como as doenças autoimunes, o diabetes, a osteoporose.

Eu preciso tomar vitamina D? De quanto precisamos? A dose ideal para cada paciente varia de acordo com seu perfil. Quando há deficiência é possível fazer uma dose de ataque inicial mais alta, para melhorar o estoque desta vitamina. Depois é mantida doses que podem variar de acordo com o estado de cada paciente. É importante consultar um médico para entender sua necessidade.

Existe um grupo de risco para a falta de Vitamina D? Vivemos uma reconhecida pandemia de hipovitaminose D¹ ², comprovada cientificamente, então todos temos que nos atentar a isso mas especialmente idosos, gestantes, lactantes, pacientes bariátricos ou com raquitismo, osteomalácia, hiperparatireoidismo, doenças inflamatórias, doenças imunes, doença renal crônica,  entre outras situações que merecem maior atenção aos níveis sanguíneos dessa vitamina  no organismo. 

Qual a forma adequada para se obter bons níveis da Vitamina D? Para que a formação da vitamina D no organismo seja adequada, é necessária a exposição solar de, no mínimo, 15 minutos diários, de preferência entre 10h e 14h, momento de maior presença dos raios UV, responsáveis por ativar o metabolismo de formação da vitamina D a partir da pele,  com pelo menos os braços descobertos – quanto maior a área de exposição do corpo à luz solar melhor –, sem o uso de protetores solares, que atrapalham a ativação das vias metabólicas de formação da vitamina D. A rotina das grandes cidades nem sempre permite a síntese de vitamina D por raios solares, contudo, é possível absorver a vitamina em alguns poucos alimentos, como peixes gordurosos, óleo de fígado de bacalhau e cogumelos secos. Leite, ovos e fígado bovino também têm a vitamina, mas em menor quantidade. Também é uma alternativa bastante interessante repor a vitamina D por meio de suplementação. 

Então existem suplementos que substituem alimentos e exposição solar? Para aqueles casos em que a combinação de exposição solar e alimentação não é suficiente, é possível fazer uso de suplementos de vitamina D – a partir da recomendaç&atil

Suco de uva integral pode prevenir até infarto

Suco de uva integral é um excelente substituto do vinho e muito amigo da saúde cardíaca.

Sete nutrientes indicados para fortalecer a imunidade

Nutricionista dá dicas de alimentação para melhorar o sistema imunológico.

Ácido fólico: descubra para que serve e como tomar

Doses suficientes dessa vitamina poderia evitar milhares de mortes decorrentes de doenças cardiovasculares. Conheça outros benefícios do ácido fólico.

assine nosso
informativo

Agência Interagir