Notícias e Novidades

09 de Julho de 2018

Devo me vacinar todo ano contra a gripe?

É possível pegar gripe da própria vacina contra a gripe? Quem tomou a vacina no ano passado precisa se vacinar de novo? Essas dúvidas continuam circulando após o Ministério da Saúde ter concluído sua campanha de vacinação sem atingir as metas: havia a expectativa de vacinar 54 milhões de brasileiros, mas 6,8 milhões deles não se imunizaram, sendo as gestantes e as crianças com até seis anos os grupos que ficaram menos protegidos. 

Quem tem prioridade? O Ministério da Saúde disponibiliza doses da vacina no SUS para os grupos prioritários, que têm fator de risco associado caso adoeçam. Fazem parte desses grupos: crianças de seis meses a cinco anos; adultos a partir dos 60 anos; portadores de doenças crônicas pulmonares, cardíacas ou metabólicas e com alterações de imunidade; gestantes; indígenas; profissionais de saúde; e professores. Em 2018, desde o encerramento da campanha, crianças de 5 a 9 anos e adultos entre 50 e 59 anos que procurarem os postos de saúde com doses em estoque terão prioridade para se vacinar.

Devo tomar vacina todos os anos? Para estar protegido sempre, é preciso se imunizar anualmente. Dois motivos explicam isso: a duração da imunização da vacina – de 10 a 12 meses – e as mutações do vírus influenza.

Todos podem se vacinar? Quase toda a população pode tomar a vacina. "Ela só não é recomendada para crianças com menos de seis meses de idade, pessoas com alergia grave a ovo e pessoas com história de reação grave anterior à vacina", alerta o médico e professor da Faculdade de Medicina da USP João Renato Rebello Pinho. Além de alérgicos a ovos, também há um alerta vermelho a pessoas imunossuprimidas, ou seja, aquelas que têm o sistema imunológico com baixa atividade.

Há efeitos colaterais à vacina? A pesquisadora do Instituto Butantan explica que é possível observar dor no local da aplicação da injeção e uma leve irritação cutânea. Em casos mais raros, febre baixa já foi relatada. Mas em qualquer um desses casos, não é preciso se preocupar. 

`Fiquei gripado por causa da vacina`: mito ou verdade? Domingues explica que diversos mitos circulam no Brasil durante a campanha de vacinação. O principal deles a ser rebatido, para a coordenadora, é o de que se contrai gripe depois de se vacinar. 

Não pertenço aos grupos de risco. Por que me vacinar? "É importante que todos os brasileiros – salvo as exceções – tomem a vacina, pois o vírus se dissipa pelo ar, o que o torna altamente contagioso. Assim, se todos se previnem, teremos menos vírus circulante, pois eles terão menos hospedeiros para se dissipar", explica Jorge.

Domingues garante que, apesar das 608 mortes já confirmadas, não está ocorrendo um surto de H1N1 neste ano, mas é necessário que a população se vacine para evitar que isso aconteça.

Fonte: g1.globo.com/bemestar

Veja seis dicas para deixar a pele hidratada no inverno

O dermatologista Murilo Drummond, do Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas, explica como evitar que a pele sofra com as baixas temperaturas.

10 benefícios da amamentação para a mãe e para o bebê

Segundo a OMS, a amamentação com o leite materno deve ser exclusiva até o 6º mês e continuar até os dois anos de idade.

Campanha junho vermelho incentiva doação de sangue

No mês de junho, doadores de sangue são celebrados em todo o mundo. Ação busca garantir estoques para o mês de julho, de férias escolares.

assine nosso
informativo

Agência Interagir