Notícias e Novidades

09 de Abril de 2018

Cuidados tópicos com ferimentos

Situações do dia a dia, muitas vezes até simples, podem causar alguns ferimentos. Pequenos cortes, batidas e ralados são alguns dos inconvenientes que podem aparecer em ações rotineiras. Exatamente por isso, é importante estar preparado para atender quem chega com reclamações dessa natureza.

Existem diversas maneiras de descrever e nomear os ferimentos e suas complicações. De acordo com o coordenador do centro de trauma do Hospital Samaritano de São Paulo, Dr. Diogo Garcia, a classificação médica mais usual de ferimentos segue a seguinte lógica:

* Ferimentos por meios físicos: objetos que causam contusão, cortantes, perfurantes, lacerativos, escoriativos;

* Ferimentos por lesões térmicas: queimaduras e geladuras;

* Ferimentos por meios químicos: por exemplo, corrosões e queimaduras por ácidos.

Os ferimentos são classificados, também, de acordo com a sua descrição:

* Fechados: quando não há ruptura da barreira da pele;

* Abertos: quando há ruptura da pele com exposição de tecidos internos do organismo.

Os tratamentos dependem do tipo e das estruturas comprometidas no ferimento, mas para os mais leves, o Dr. Garcia destaca os principais tipos de assepsia:

* Ralado: limpar bem com água e sabão ou produto antisséptico. Após esse processo, secar bem a ferida e não cobrir, a não ser que o ralado entre em contato com alguma parte da roupa que vá incomodar.

* Cortes superficiais: demoram em média 48 horas para fecharem totalmente. O tratamento dura de sete a dez dias, que é quando o paciente não pode fazer força com a parte cortada.

* Cortes profundos: são caracterizados pelas bordas de pele abertas e com sangramento que não cessa. Nestes casos, é necessário procurar o hospital.

Fonte: Portal Guia da Farmácia

Calvície: conheça as causas e os tratamentos

A queda de cabelo pode ser causada por diversos motivos.

Café pode ajudar na prevenção de doenças

A cafeína é conhecida por seus efeitos estimulantes e geralmente é associada a melhora no estado de alerta, na capacidade de aprendizado e de concentração e no aumento de energia.

Confira dicas para comprar pescados com qualidade e segurança

Vigilância Sanitária indica que os peixes e mariscos devem estar bem refrigerados, sem sinal de descongelamento.

assine nosso
informativo

Agência Interagir