Notícias e Novidades

26 de Março de 2018

Confira dicas para comprar pescados com qualidade e segurança

Alimentos muito consumidos em todo o País, os pescados marinhos e de água doce exigem a atenção do consumidor na hora da compra, para garantir que estejam próprios para o consumo.

Inicialmente, é preciso checar se o local de venda está limpo e com equipamentos para manter os produtos refrigerados. Depois, certifique-se de que o pescado é de origem segura. No rótulo deve haver o nome e endereço do fabricante, validade e selo do serviço de inspeção municipal, estadual ou federal (SIF), indica a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Se o produto for vendido congelado, é necessário verificar se está sem sinais de descongelamento, como líquidos. Já no caso dos peixes frescos, repare na aparência: não deve haver manchas, furos ou cortes, as escamas devem estar firmes, brilhantes e um pouco transparentes. Os olhos devem estar brilhantes e sem pontos brancos no centro, ocupando toda a cavidade. 

Quando chegar em casa, guarde os pescados imediatamente no freezer ou geladeira e não consuma após a data de validade. Na hora do preparo, uma dica importante é não descongelar os alimentos em temperatura ambiente, e sim na geladeira ou no microondas, caso esteja com pressa.

Defeso

Ao comprar de produtores sérios, com licença ambiental, o consumidor garante, além de saúde, a proteção do meio ambiente, já que a pesca é proibida durante o período de reprodução de algumas espécies. Entre as espécies protegidas estão os camarões, bagres marinhos e anchovas, entre outros.

Fonte: http://www.brasil.gov.br/saude

Devo me vacinar todo ano contra a gripe?

Veja respostas para essa e outras dúvidas sobre a imunização.

Veja seis dicas para deixar a pele hidratada no inverno

O dermatologista Murilo Drummond, do Instituto de Pós-Graduação Carlos Chagas, explica como evitar que a pele sofra com as baixas temperaturas.

10 benefícios da amamentação para a mãe e para o bebê

Segundo a OMS, a amamentação com o leite materno deve ser exclusiva até o 6º mês e continuar até os dois anos de idade.

assine nosso
informativo

Agência Interagir