Notícias e Novidades

19 de Março de 2018

Tricologia: o que a dermatologia pode fazer pelos seus cabelos

Nos últimos anos tem crescido muito a procura por tratamentos capilares. Mas no que eles consistem? Quem está apto a fazê-los?

O que é a tricologia? A tricologia é a área da dermatologia (especialidade MÉDICA) que estuda os fios de cabelo, o couro cabeludo e os pelos.

A tricologia abrange o diagnóstico e tratamento dos distúrbios que afetam essas estruturas, como queda e quebra dos fios, inflamações, infecções e doenças do couro cabeludo.

Muitas vezes, uma simples queixa de queda de cabelo pode ser a manifestação secundária de alguma afecção na tireoide, anemia, deficiência de vitaminas, doenças reumatológicas, entre outras. Por isso é tão importante a avaliação de um médico nesses casos.

Queixas mais comuns

A queixa mais comum nessa área é a de queda de cabelo e a calvície (tanto masculina quanto feminina). O dermatologista é responsável por identificar a causa, através da história (anamnese) e exame clínico durante a consulta médica e, se necessário, ainda solicitar exames complementares, para então chegar ao diagnóstico e plano de tratamento adequado.

Além da queda de cabelo, a tricologia também abrange tratamentos para perda de cabelos após quimioterapia, danos aos fios de cabelo causados por procedimentos estéticos químicos e físicos (como tinturas, colorações e alisamentos), bem como de afecções no couro cabeludo (dermatites), psoríase, micoses e foliculites, entre outras.

Atualmente, devido a grande procura, a tricologia é uma área que atrai muitos interessados. No mundo inteiro tem crescido significativamente o número de pesquisas e descobertas de novos protocolos de tratamentos médicos nessa área. Se você tem problemas capilares, não deixe de conversar com seu dermatologista.

Fonte: www.veja.abril.com.br/blog/letra-de-medico

É melhor dormir com ou sem meias?

A resposta está relacionada à vasodilatação.

Como usar os ovos na dieta?

O consumo de ovo pode ser muito importante para a saúde.

Ar condicionado muito frio pode prejudicar saúde das mulheres

De acordo com especialistas, o corpo feminino necessita de uma temperatura cerca de três graus mais quente do que a do homem.

assine nosso
informativo

Agência Interagir