Notícias e Novidades

20 de Novembro de 2017

Tem zumbido no ouvido? Conheça as possíveis causas e saiba o que fazer

Popularmente conhecido como zumbido, o tinnitus ou acúfeno é semelhante ao som de apito, cachoeira ou mesmo de uma cigarra, e chega a incomodar 28 milhões de brasileiros de diferentes idades. É provável que, em algum momento da sua vida, você ouça esse famoso barulhinho. Trata-se de um som que é percebido pela pessoa quando nenhuma fonte externa o produz - uma espécie de barulho fantasma, que surge em algum ponto da via auditiva e se estende até o córtex auditivo, no cérebro.

De acordo com o responsável técnico pela otorrinolaringologia da Rede D’Or, Márcio Nakanishi, o zumbido é apenas um sintoma, como a febre e a dor. Não se trata de uma doença. “Ele pode ser indício de algum outro problema que, na maioria dos casos, é algo nada grave”, diz o médico. “Mas é essencial que a causa do som constante seja detectada.” Classificado em transitório ou persistente, na segunda opção o zumbido apresenta-se em 17% da população. Em até 20% dos casos diagnosticados, pode ser considerado severo, o que representa grande impacto na qualidade de vida do paciente. Segundo a American Public Health Agency, é o terceiro sintoma que mais causa incômodo, perdendo apenas para dores e tonturas intensas.

Palavra do especialista - O zumbido pode surgir como efeito colateral de algum remédio? Sim. Existem medicamentos ototóxicos, ou seja, que são tóxicos para a orelha interna, que podem gerar tanto o zumbido quanto a perda auditiva. Quando o histórico do paciente é analisado pelo médico, é preciso ficar atento a essa questão.

 Existem níveis de gravidade do zumbido? A gravidade varia, na verdade, com a causa do problema. Mas podemos relacioná-la às características do zumbido, que são: intensidade, duração e tipo de ruído.

 Alguma faixa etária específica é mais afetada pelo problema? Crianças também podem ter? Nenhuma pessoa está completamente livre do zumbido no ouvido. Até mesmo crianças podem sofrer com a complicação, mas, devido ao aumento da incidência da perda auditiva, os adultos e idosos são os mais afetados.

 Causas:  - Históricos de distúrbio ou infecções do ouvido / - Algum grau de perda auditiva / - Acúmulo de cera no ouvido / - Transtornos cardiovasculares que afetam o fluxo sanguíneo, as artérias e os nervos / - Acúmulo de colesterol nos vasos sanguíneos / - Pressão alta / - Exposição prolongada a sons altos / - Problemas odontológicos referentes ao abrir e fechar da boca / - Deficiência de zinco / - Em casos mais graves, tumor na via auditiva

 Fonte: Correiobraziliense.com.br/cienciaesaude

Muito Ômega 3 Faz Mal?

Saiba mais.

Por que engordamos quando ficamos mais velhos? (e não tem a ver só com o metabolismo)

Há causas menos conhecidas que nos fazem ganhar peso ao envelhecermos; saiba quais.

Por que sentimos cócegas?

Diversas teorias tentam explicar este acontecimento.

assine nosso
informativo

Agência Interagir